Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS-SP

A A A Tamanho do texto

GESTÃO


  • Diretrizes e Metas do Programa Estadual de IST HIV AIDS 2021-2022

    Apresentação

    O Programa Estadual de IST/Aids (PE-IST/Aids) mediante a atual situação de pandemia da COVID 19, impossibilitado da elaboração, do Plano Estratégico do Programa para 2021 a 2024, optou por elaborar Diretrizes e Metas para o ano de 2021. Estas diretrizes e metas têm como objetivo contribuir para o alcance da missão do PEIST/Aids que é diminuir a vulnerabilidade da população do Estado de São Paulo às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e HIV/Aids; prevenir novas infecções; promover a qualidade de vida das pessoas afetadas, reduzir o preconceito, a discriminação e os demais impactos sociais negativos das IST/HIV/Aids, em consonância com os princípios do SUS.

  • Vigilância Epidemiológica

  • Eliminação da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis (em edição)

    O Programa Estadual de DST/AIDS de São Paulo (PEDST/AIDS-SP) vem apoiando a ampliação e manutenção das ações de prevenção da transmissão vertical do HIV e Sífilis na rede de serviços (atenção primária, unidades de referência, maternidades) gerenciada diretamente pelo estado e municípios. Atualmente, todos os insumos utilizados para a prevenção da transmissão vertical do HIV e Sífilis são financiados pelo Governo.

    Em 2009, o PEDST/AIDS-SP lança o ¿PLANO DE ELIMINAÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E DA SÍFILIS¿, em consonância com as propostas do Ministério da Saúde, com metas escalonadas e regionalizadas de redução da transmissão vertical nas diferentes regiões do estado.

    Atualmente, constituem importantes desafios para o alcance dessas metas: o aumento na cobertura de testagem para HIV e Sífilis no pré-natal; o tratamento oportuno e correto da sífilis na gestante e seu parceiro sexual no pré-natal e a ampliação do número de maternidades que efetivamente realizem todas as medidas de profilaxia da transmissão vertical do HIV e Sífilis durante atendimento ao parto e ao puerpério. Nos municípios onde houve sensibilização e empenho para se reduzir essa via de transmissão para o Vírus da Imunodeficiência Humana, observam-se números semelhantes aos dos países desenvolvidos.

    Em documento divulgado no segundo semestre de 2011, a UNAIDS propõe a ¿Eliminação de Novas Infecções por HIV em crianças até 2015, mantendo as Mães Vivas¿. Esta proposta vem ao encontro das metas e ações do Plano do Estado, na tentativa de atingir uma ¿Geração Livre do HIV¿.

    A Organização Panamericana da Saúde (OPS) define a eliminação da transmissão vertical do HIV, quando são alcançadas taxas de incidência menores que dois casos de HIV para cada 100 mães infectadas. Para a Sífilis Congênita, a OPS considera a doença eliminada, quando se atinge a cifra de 0,5 caso para cada 1.000 nascidos vivos. Estas taxas são também as metas do Programa Estadual de DST/AIDS de São Paulo no seu Plano de Eliminação da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis.

    Esse Plano visa contribuir não só para as Metas do Milênio da Organização Mundial da Saúde (Metas 4, 5 e 6), como também para o Pacto pela Saúde, nas suas Prioridades III e IV no Estado de São Paulo.

  • Fórum de Dirigentes

    Atualmente o Programa Estadual de IST/HIV/Aids-SP conta com o Fórum de Dirigentes para o aprimoramento das políticas de Estado para as IST/aids. O Fórum de Dirigentes é formado pelos Programas Municipais IST/AIDS, GVE, representantes da sociedade civil organizada e parceiros estratégicos de demais secretarias de Estado e ocorre anualmente.

    O Fórum de Dirigentes tem como objetivo discutir e encaminhar questões referentes à gestão em IST/HIV/Aids e sua interface com outras ações de saúde e demais setores. Conta ainda com uma instância intermediária, a Comissão de Gestão Participativa (COGESPA).

    Esses mecanismos permitem uma gestão articulada e aberta na formulação e viabilização das grandes linhas de ações desenvolvidas no Estado.

  • Curso Para Novos Coordenadores

    O curso é organizado pela Gerência de Planejamento subsidia o processo de gestão e planejamento local, com foco na Gestão, Planejamento, Monitoramento e Avaliação, da qualidade da gestão dos serviços de DST/aids.

    Contribui para a reflexão crítica dos principais desafios da Política de DST/Aids e à implementação do Plano Estratégico e das Programações Anuais de Metas dos município.

    Além disto também subsidia a construção de estratégias e metas para o enfrentamento dos problemas prioritários, e apoiar as ações para o monitoramento e avaliação do alcance das metas e Contribui nos processos de Articulação com Organizações da Sociedade Civil, com foco ao fomento do controle social das políticas públicas.

    O curso é oferecido as coordenações municipais de IST/Aids, Grupos de Vigilância Epidemiológica, que conta sempre com a participação de representantes da sociedade civil organizada.

    Módulo I (conteúdo)

    SUS e Saúde Coletiva, Políticas Públicas de Saúde, Marcos Legais do SUS, Política Pública em DST/Aids, Conceito de Redes. Além de Planejamento em Saúde, Conceitos básicos do Planejamento em Saúde, Conceitos básicos de Epidemiologia e Informação em Saúde, Elaboração de Planejamento Estratégico e Programações Anuais, Monitoramento e Avaliação, Articulação com a Sociedade Civil Participação dos movimentos sociais na construção e manutenção das Políticas de DST/Aids.

    Módulo II (conteúdo)

    Conceitos de Campo e Núcleo, Conceito de Vulnerabilidade, QUALIAIDS como ferramenta de gestão, Modalidades assistenciais em DST/ Aids, Papel dos serviços, formalização, Qualidade da assistência, Prevenção Secundária, Prevenção em serviço e serviços de prevenção, Ampliação de diagnóstico de HIV e Implantação de Teste Rápido, Logística de Insumos de prevenção, Estratégias de prevenção, Política de Assistência farmacêutica, Estratégias de Comunicação em DST/Aids, Elaboração de materiais educativos.

  • Webconferências

  • COGESPA

    COMISSÃO DE GESTÃO PARTICIPATIVA DAS AÇÕES DE DST/AIDS - COGESPA

    A COGESPA é uma instância colegiada consultiva, que tem como finalidade assessorar a Coordenação Estadual de DST/Aids na formulação de políticas de saúde na área das Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids, bem como articular politicamente com as instâncias gestoras dos níveis federal, estadual e municipal e com a Sociedade Civil Organizada, na perspectiva de promover a incorporação das atividades de DST/Aids dentro do processo de descentralização do SUS viabilizando a sua sustentabilidade técnica, política e financeira.

  • Gestão e Planejamento Junto aos Municípios

    pam@crt.saude.sp.gov.br (11) 5087-9867

  • Conselho Empresarial

    Mobilizar o segmento empresarial para estimular e fortalecer o exercício da responsabilidade social das empresas, definindo e propondo ações de prevenção às DST/HIV/AIDS em locais de trabalho.

  • Plataforma IEC CRT DST/Aids

    A Plataforma Educacional do Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids (CRT/DST/Aids) consiste em uma das ações estratégicas do Núcleo de Desenvolvimento e Educaçao da Gerência de Recursos Humanos do Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids (CRT/DST/Aids)

Comunicar Erro




Enviar por E-mail






Colabore


Obrigado